Televisão

Datena dispara críticas contra Bolsonaro ao vivo: “Uma calamidade”

Jornalista fez críticas sobre a conversa do presidente com Kajuru

O jornalista José Luis Datena disparou mais críticas contra o presidente Jair Bolsonaro durante o “Brasil Urgente” da última segunda-feira (12). Ademais, ele criticou a ligação divulgada entre o mandatário e o Senador Jorge Kajuru. Na conversa, ele critica Randolfe Rodrigues e ainda pede impechment contra os ministro do STF.

“Hoje de manhã, o Bolsonaro saiu lá da porta do Palácio e disse ‘olha, como é que pode gravar o Presidente da República? Não tem cabimento gravar, só com autorização judicial em alguns casos…’ O Kajuru diz que ele sabia que estava sendo gravado. Eu questionei e achei estranho isso”, iniciou Datena.

“O que a gente conseguiu com exclusividade, que o Kajuru não tinha divulgado, é um ataque do presidente Jair Bolsonaro a alguns senadores e, especificamente, ao Randolfe Rodrigues, que é o senador pelo Amapá. Ele (Bolsonaro) o xinga inclusive”, continuou o jornalista.

Em seguida, ele disparou críticas contra Bolsonaro. “O mais grave é quando, no momento da conversa, o Bolsonaro fala ‘Olha, você tem que entrar com o pedido de impeachment contra ministros do Supremo’. Pô, mas isso é um caso claro de uma agressão à democracia. Não pode um Presidente da República falar para o senador pra entrar com ação contra os ministros do Supremo porque isso é um poder em interferindo no outro. Isso é uma calamidade”, disparou Datena. Confira a fala a partir do minuto 2h11′.

Datena perde a paciência com a própria produção

Datena perdeu a paciência com sua produção durante o “Brasil Urgente” da última sexta-feira (09). O jornalista reclamou da qualidade do áudio de uma entrevista e ameaçou deixar o jornalístico.

Ademais, Datena conversava com Leniel Borel, pai do menino Henry, supostamente assassinado pelo padrasto dele, Dr. Jairinho, juntamente com a mãe do garoto, Monique. Assim, no meio da entrevista, o sinal caiu e o jornalista se irritou. “Se voltar o nosso Henry (Leniel) a gente coloca ele no ar, senão a gente coloca por telefone mesmo. Quando tiver pronto a gente coloca. Eu queria, daqui a pouco, colocar uma reportagem que estava calçada aqui e seguir a linha que querem que eu siga aqui, até o momento que eu queira ficar aqui porque vai ter um dia que eu vou me torrar paciência com isso aqui, e vou seguir o meu caminho. Eu prefiro isso”, disparou o apresentador.

Então, a opção encontrada foi fazer a entrevista por ligação telefônica. Contudo, o áudio de baixa qualidade também não agradou Datena. “O som dele está ruim, meu. O gozado é que a gente faz entrevista na rádio como facilidade tão grande. Em televisão, que é um veículo mais moderno, deveria ser mais fácil. Estranho isso… O som dele da pra ouvir? Sabe o que que é eu tenho? 50 anos profissão. Quando dou conselho pra algumas pessoas aqui, não é que eu queira saber mais do que elas. É que, de repente, eu tenho 50 anos de profissão né… eu falo que é mais fácil as entrevistas por telefone do que por Skype há 312 anos”, disse.

Claudio Augusto

Jornalista formado pela UFG (Universidade Federal de Goiás), com passagem pela Rádio Universitária (UFG) e TV Anhanguera de Goiânia.

Veja também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo