Protagonizada por Renato Góes, trama tem rotina interrompida por tiroteio em Deodoro (Foto: Reprodução)

A rotina de gravações da supersérie “Os Dias Eram Assim” foi interrompida na tarde desta terça-feira (27), por conta de uma perseguição policial seguida de tiroteio. A trama estava em gravação externa, em Deodoro, localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A equipe de mais de 100 profissionais ficou assustada, no grupo estavam atores, figurantes e equipe técnica.

A sequência, rodada entre as personagens de Gabriel Leone e Bárbara Reis tinha como elemento fuzis cenográficos, o que pode ter motivado os tiros. O desentendimento era entre polícia e bandidos da região.

O cronograma foi alterado e as cenas de externa foram paralisadas. Em nota oficial, a Rede Globo se posiciona sobre o inesperado acontecimento na trama das onze: “Nesta terça-feira, dia 27, as gravações de ‘Os Dias Eram Assim’, que aconteciam na Vila Militar de Deodoro, tiveram que ser interrompidas por causa de uma perseguição policial que atravessou o mesmo terreno onde o set havia sido montado. Atores, equipe técnica, figuração e direção foram retirados do local em segurança”, tranquiliza a emissora carioca.

O medo se apoderou da produção. Gabriel Leone, que é um dos protagonistas da trama, participava da cena junto com a atriz Bárbara Reis. O tiroteio foi entre criminosos e policiais da região. Em uma tentativa de se proteger, todos os presentes se jogaram no chão. A Cena que estava em gravação envolvia fuzis cenográficos, isso pode ter motivado os bandidos a terem atirado.

O conto tem como pano de fundo o período militar, a história teve início nos anos 1970, contou com duas passagens de tempo entre as fases e agora em sua reta final fala sobre o movimento das Diretas Já, ocorrido na década seguinte.