Connect with us

Famosos

Lula afirma que Bolsonaro teria inventado ter coronavírus para promover cloroquina

Claudio Augusto

Publicado há

em

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva soltou uma opinião polêmica na noite da última sexta (17) ao participar de uma conferência de bancários que contou com a presença de Fernando Haddad e Flávio Dino e Guilherme Boulos. Lula disse que desconfia que o presidente Jair Bolsonaro teria inventado estar com coronavírus somente para fazer propaganda da cloroquina.

“Para resolver a crise sanitária, nós precisamos do bom senso do presidente da República e saber que o único remédio que vai curar, que até hoje nós sabemos, é isolamento das pessoas. O isolamento é a única coisa enquanto não tiver a vacina. E ao invés de o presidente juntar o [Instituto] Butantan e outros laboratórios para pensar no que fazer, para colocar dinheiro para os nossos pesquisadores, ele resolve ficar tentando vender cloroquina! Eu acho que ele é sócio do laboratório do Trump, não é possível!”, disse Lula, ao criticar o comportamento de Bolsonaro frente a pandemia.

Leia mais: Pai de Fernanda Lima morre de coronavírus e apresentadora lamenta: “Cruel não estar ao teu lado”

Em seguida, o ex-presidente falou que acha que a doença de Bolsonaro possa ter sido inventada: “Como é que um presidente da República, tenente expulso do Exército, movido pela ignorância, consegue tentar vender todo santo dia pelo rádio, pela televisão e através das fake news que a cloroquina é a salvação contra coronavírus! Sem nenhuma orientação médica, ele ontem disse que vai obrigar a Fiocruz a orientar a cloroquina. É hora dos pesquisadores, é hora dos nossos médicos não aceitarem cumprir orientação. Eu até acho, Haddad, que ele inventou esse negócio de que está com coronavírus para poder dizer que melhorou com a cloroquina. Parece duro, mas eu estou dizendo. Esse cara é capaz de tudo”, disparou Lula.

Ademais, o líder o PT citou o descaso com a pandemia pelo país, fazendo críticas às trocas frequentes no Ministério da Saúde. Não é possível que você tenha em poucos meses, com essa crise, três ministros da Saúde. O primeiro, quando começou a gostar do SUS, foi tirado. O segundo se formou e acho que nunca aprendeu a medir a pressão do cidadão, porque se formou oncologista e montou uma empresa de fundo de investimento na oncologia. Você percebe que ele não entendia nada de medicina. E, agora, colocou o general”, afirmou, ao criticar a escolha de Eduardo Pazuello para o cargo.

Jornalista formado pela UFG (Universidade Federal de Goiás), com passagem pela Rádio Universitária (UFG) e TV Anhanguera de Goiânia.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

⚡EM ALTA