Famosos

Fábio Porchat ataca Bolsonaro e dispara: “Maléfico para o país”

Fábio Porchat usou o seu Instagram na última quinta-feira (28) para criticar as ações do presidente da República Jair Bolsonaro. Em um vídeo, o humorista se mostrou indignado por várias pessoas minimizam as falas do mandatário.

“O pessoal chama o Bolsonaro de genocida e tem gente que fala assim: ‘Pera aí, não exagera. Genocida? Como assim?’. Eu acho que a gente tá tão acostumado ao ouvir falar m****, porque ele só fala m**** , a gente vai meio que descredibilizando um pouco da nossa cabeça, tirando o peso que é, as maluquices, a violência, a agressividade que vem dele”, disse no início.

Em seguida, Fábio Porchat fez uma comparação fictícia entre Bolsonaro e outros presidentes, como Lula e Fernando Henrique Cardoso. “Pensa assim, em 1995, o Fernando Henrique Cardoso no auge da Aids e falasse assim: ‘Aids, vírus. Isso é bobagem. Pelo amor de Deus, gente, camisinha eu mesmo não uso. Isso não dá nada. É até bom que o pessoal pegue. Até melhor porque aí ninguém passa Aids para ninguém. O bom é transar, e antes de transar tomar um Omeprazol’. Você iria falar que o FHC enlouqueceu”, expressou.

Leia mais > Raul Gil completa 83 anos e desabafa sobre idade: “A gente esquece tudo”

“Imagina se o Lula, em 2007, com a Dengue falasse: ‘Esse mosquito não dá nada. Quem reclama de mosquito é porque gosta de picada. Eu mesmo tenho pneu em casa. Já deixei um monte de pneu com água, vasinho de planta, isso não dá nada. Brasileiro tem que ser estudado, bebe água de esgoto não vai aguentar um mosquito’. Você vai falar que o Lula bebeu, que o Lula é louco”, continuou.

Após isso, Porchat pontuou as ações negacionistas de Bolsonaro. “Teve pandemia no mundo, o presidente não usava máscara, falava que máscara é ruim, não falava de distanciamento social, aglomerava, pegou Covid e falou que não era nada, falou para tomar um remédio que ninguém tomou no mundo inteiro”.

Por fim, ele opinou que estas ações tem feito várias pessoas seguirem o mesmo caminho. “Se isso não incentiva as pessoas a duvidar, quando chega a vacina ele fala mal da vacina… Se isso não é atrapalhar muito o caminho que estamos percorrendo enquanto sociedade e como nação, eu não sei mais o que ele precisa fazer para você achar que ele é um cara muito maléfico para o país”, encerrou o apresentador.

Claudio Augusto

Jornalista formado pela UFG (Universidade Federal de Goiás), com passagem pela Rádio Universitária (UFG) e TV Anhanguera de Goiânia.

Veja também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo