Famosos

Claudia Rodrigues tem estado de saúde atualizado: “Inflamação acentuada”

Atriz teve tendão rompido, mas passa bem

A atriz Claudia Rodrigues teve o estado de saúde atualizado no último sábado (17). A empresária Adriane Bonato disse que a cliente teve uma inflamação acentuada após ter o tendão rompido, mas passa bem.

“Foi descoberta uma inflação bem acentuada causada por uma ruptura parcial do tendão. Isso ocasionou a febre alta que ela teve. Fizemos a infiltração à noite e ela está passando muito bem”, detalhou.

“Tivemos algumas mudanças de planos . Aguardamos sair os resultados de todos os exames da Claudia para decidir o caminho a seguir. Para ter mais segurança, ela também tomará uma medicação também serve para controlar a disautonomia e evitar quedas”, completou Adriane Bonato.

Claudia Rodrigues e risco de morte

A atriz Claudia Rodrigues corre risco de morte. Quem revelou a informação foi a empresária da artista, Adriane Bonato, na última quinta-feira (15). Ademais, o óbito pode acontecer porque Claudia está sem tomar os remédios da Esclerose Múltipla. Os medicamentos foram suspensos já que a atriz tomou a vacina contra a Covid-19.

“Infelizmente, depois de todos os exames feitos. Alguns resultados nos levaram a ver que ela está tendo um aviso de possível surto por não estar tomando o Ocrevus, , que não está mais no corpo dela. A qualquer momento pode acontecer dela ter um surto”, disse Adriane Bonato.

“Não queremos que isso aconteça. Se acontecer, as consequências podem ser trágicas. Já aconteceu de ter óbito por conta de fazer essa quebra de protocolo (da medicação contra esclerose) e era isso que a gente estava evitando”, detalhou.

Leia mais > Ticiana Villas Boas desabafa após levar rasteira de Patricia Abravanel no SBT: “Uma surpresa”

Em seguida, a empresária reclamou que a vacina da Pfizer, a qual Claudia Rodrigues recebeu, poderia ser aplicada em sua segunda dose num intervalo de três semanas, o que traria menos risco para artista, “Meu desespero é porque descobri que a vacina da Pfizer pode ser tomada. O protocolo é que ela seja tomada no intervalo de três semanas e não de três meses. Ela é de três semanas a, no máximo, três meses. Não estou aqui para falar de política. Mas porque não escolheram três semanas? Se tivessem escolhido três semanas, ela já estaria imunizada e não estaria passando por nada disso”, desabafou.

“Ela já teria tomado o Ocrevus, o corpo dela já teria recebido essa medicação, a gente não estaria aqui (no hospital) e amanhã ela não estaria correndo risco de morrer por conta da irresponsabilidade e da má gestão (do governo)”, encerrou Adriane Bonato.

Vale lembrar que Claudia Rodrigues foi internada na unidade de terapia semi-intensiva desde a sexta-feira (9), no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Claudio Augusto

Jornalista formado pela UFG (Universidade Federal de Goiás), com passagem pela Rádio Universitária (UFG) e TV Anhanguera de Goiânia.

Veja também

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo